GEOPOLÍMERO DE METACAULIN. AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DA SOLUÇÃO ATIVADORA DE KOH COM ADIÇÃO DE NANOSÍLICA UTILIZANDO DELINEAMENTO EXPERIMENTAL

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
In13-005
Oscar Khoiti Ueno Ueno, O.K.(Universidade Estadual se Santa Catarina); Botelho, G.H.(Universidade Estadual de Santa Catarina); Schwaab, S.(Universidade do Estado de Santa Catarina); Folgueras, M.V.(Universidade do Estado de Santa Catarina); Nas últimas décadas, devido a crescente preocupação da humanidade com a preservação do meio em que vivemos, as pesquisas, tanto no meio acadêmico, como no industrial, têm procurado desenvolver novos materiais que melhorem ou mantenham suas propriedades físicas, químicas e mecânicas do ponto de vista do custo benefício e da sustentabilidade. De encontro a isso, surgem os materiais geopoliméricos, ou geopolímeros, que possuem propriedades ligantes e de alto desempenho mecânico, se tornando um importante aliado ao meio ambiente como alternativa ao cimento Portland, ou mesmo como revestimento resistente à agentes externos. Estudos têm demonstrado o quão diversificado pode ser a utilização de um geopolímero devido às suas propriedades, bem como o seu comportamento e estrutura formada mediante alterações e incorporações na sua composição. O presente trabalho tem como objetivo investigar as propriedades de um geopolímero, obtido a partir da mistura de metacaulim (MTK), sílica amorfa nanométrica (SAN) e solução ativadora de hidróxido de potássio (KOH). A investigação foi realizada utilizando um projeto fatorial para o planejamento e análise dos experimentos. Na preparação das amostras, para cada fator, três níveis foram selecionados: incorporação de 20, 40 e 60% m/m de SAN em relação ao KOH e soluções de KOH de com concentração de 4, 6 e 8 mol/L. As misturas foram curadas durante 7 e 28 dias, nas quais foram realizados ensaios de resistência mecânica (RC7 e RC28), absorção de água (AA); densidade aparente (DA ); e caracterização micro estrutural por microscopia eletrônica de varredura (MEV) e difratometria de raios-x (DRX). Os resultados obtidos demonstram uma relação entre a resistência mecânica, quantidade de sílica e hidróxido de potássio bem como o tempo de cura das amostras. Observou-se que o aumento da relação Si/K resulta no aumento da resistência mecânica. Sendo que a maior resistência encontrada foi para o grupo de amostras com 60% de SAN e 8 mol/L de KOH, alcançando 41,7Mpa e microestrutura homogênea.
<< Voltar