FORMULAÇÕES DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS TRATADOS POR HIDROCICLONAGEM PARA OBTENÇÃO DE SUPORTES DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
It38-003
Ricardo Peixoto Suassuna Dutra Dutra, R.P.(Federal University of Paraíba); Caetano, A.L.(Universidade Federal da Paraíba); Ferreira, C.A.(Universidade Federal da Paraíba); Macedo, D.A.(Federal University of Paraíba); FERREIRA, H.S.(UFPB); Os resíduos continuam sendo uma problemática de muitas indústrias e uma preocupação ambiental da humanidade. O presente trabalho tem como objetivo desenvolver formulações utilizando resíduos industriais, envolvendo o resíduo do beneficiamento do caulim, o resíduo do corte/polimento do granito e o resíduo do polimento do porcelanato, todos, tratados pelo processo de hidrociclonagem, para obtenção de materiais utilizados como suporte para revestimentos cerâmicos. Todas as matérias-primas foram previamente caracterizadas com seguintes técnicas de análise: análise mineralógica por difratometria de raios X (DRX); análise da composição química por fluorescência de raios X (FRX); análise granulométrica por difração a laser (AG); e análise do comportamento térmico por análise térmica diferencial (DTA) e termogravimétrica (TG). Em seguida, após formulações entre as matérias-primas em estudo, corpos de provas foram prensados com carga de 5 toneladas utilizando uma matriz metálica prismática com seção interna de 6 cm por 2 cm. Após secagem a 110 ºC por 24 h os corpos foram queimados utilizando-se uma taxa de aquecimento de 10 ºC/min, patamar final de 30 min e temperaturas finais de 1100 ºC, 1150 ºC e 1200 ºC. Propriedades tecnológicas dos corpos de prova foram determinadas. Resultados indicam que a hidrociclonagem é um processo eficiente na separação das diferentes frações dos resíduos e que as formulações estudadas permitiram o desenvolvimento de corpos cerâmicos com diferentes características quanto a porosidade e resistência mecânicas. Foi possível concluir que é possível utilizar resíduos industriais como matérias primas alternativas, a fim de minimizar o uso das matérias primas convencionais e contribuir com questões ambientais, mantendo-se as características técnicas dos produtos para serem utilizados como suporte em revestimentos cerâmicos.
<< Voltar