Potencial adsorvente no tratamento de efluentes têxteis: Caracterização e aplicação do fruto da Timbaúva

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
IVg11-006
Kesia Karina Oliveira Souto Silva Silva, K.K.(Universidade Federal do Rio Grande do Norte); Sá, C.S.(Universidade Federal do Rio Grande do Norte); Silva, R.K.(UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE); Soares, M.V.(Universidade Federal do Rio Grande do Norte); Camboim, W.S.(Universidade Federal do Rio Grande do Norte); Silva, I.O.(Universidade Federal do Rio Grande do Norte); A indústria têxtil é a segunda indústria mais poluidora do mundo, isso tem se tornado um grande problema ambiental, pois muitas descartam seus efluentes contaminados nos corpos hídricos como rios, mananciais, lagoas entre outros sem nenhum ou pouco tratamento. Dentro desta temática há sempre a procura por novos materiais, de preferência naturais, que possam ser usados no tratamento destes efluentes. Este trabalho mostra a caracterização física e química inicial de um material polimérico celulósico de origem vegetal o Enterolobium contortisiliquum, popularmente conhecido como Timbaúva. Foram usados cerca de 4 frutos colhidos dentro do campus da UFRN, este material foi usado triturado sem semente em forma de pó, como possível bioadsorvente de poluentes de efluentes têxteis, sendo uma nova alternativa ecológica e de fácil obtenção. O material foi caracterizado através das técnicas de MEV, EDS, DRX, FTIR, FRX, Espectrometria de absorbância de UV, realizada no pó in natura e no pó lavado com água e NaOH. Na análise de MEV podemos observar sua morfologia, a qual apresenta características de material adsorvente, como poros. No DRX foi possível calcular o índice de cristalinidade do material, que apresentou um ICr de 23% no pó lavado, mostrando-se como um material com estrutura amorfa, característica necessária para materiais adsorventes. Através do FTIR foi possível identificar os picos característicos de um material celulósico, observou-se os picos de celulose, hemicelulose e lignina nas 3 amostras. A análise de FRX mostrou os elementos químicos presentes na amostra com suas devidas porcentagens, sendo o potássio com a maior porcentagem, cerca de 89,8% na amostra in natura. Sua eficiência no tratamento de efluentes têxteis foi testada num efluente sintético, produzido em escala laboratorial, usando um corante típico da indústria têxtil, sendo visualmente perceptível a absorção do corante pelo pó da fibra de timbaúva. O efluente bruto apresenta uma leve turbidez, o que dificulta a leitura direta de UV visível, sendo necessário em algumas amostra, realizar um tratamento prévio de remoção de sólidos dissolvidos. Os resultados apresentados são satisfatórios e conclusivos na eficiente utilização da timbáuva na clarificação e eliminação de cor dos efluentes têxteis.
<< Voltar