Avaliação das propriedades mecânicas e microestruturais da liga de magnésio ZK60 laminada a quente

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
IIIt09-019
Pedro Guilherme Ferreira Alves Madeira Madeira, P.G.(Instituto Federal de São Paulo); Luque, V.M.(Instituto Federal de São Paulo); Samora, J.C.(Instituto Federal de São Paulo); Dal Bem, G.(Instituto Federal de São Paulo); Fontes, M.A.(Instituto Federal de São Paulo); Leiva, D.R.(Universidade Federal de São Carlos); Pinto, H.C.(Universidade de São Paulo); Silva, E.P.(Universidade Federal de São Carlos); Com o desenvolvimento tecnológico, cresce também a concorrência industrial, com a manufatura de produtos novos a cada instante. Um dos quesitos mais importante nessa corrida de concorrentes é a busca por economia de energia. A redução de peso estrutural é um fator superimportante para redução de consumo energético, como exemplo na indústria de transportes com a redução de consumo de combustível ou aumento da carga transportada, nos equipamentos de esportes com a melhor performance e menor desgaste físico. Neste quesito, as ligas a base de magnésio são fortes candidatos, uma vez que apresentam densidade de 1/3 menor que as ligas de alumínio, porém com o desafio para obtenção de melhoria nas propriedades mecânicas do material. As ligas de matriz ZK são as que apresentam as maiores resistências mecânicas dentre as ligas de magnésio com valores similares aos da liga de alumínio 7XXX, apresentando valores de resistência mecânica específica superiores aos apresentados pelas ligas tradicionais. Porém, estas ligas apresentam baixa trabalhabilidade à quente, devido à presença de intermetálicos de baixo ponto de fusão (MgZn) e assim susceptibilidade à trinca a quente. Por apresentarem uma estrutura cristalina hexagonal compacta (HC), não permitem serem trabalhadas a frio. Este trabalho busca desenvolver uma rota para conformação por laminação a quente da liga ZK60 e consequentemente a melhoria das propriedades mecânicas, através de aplicação de altas taxas de deformação visando o refino de grãos, quebra e pulverização dos intermetálicos, alta taxa de recristalização dinâmica e consequentemente redução da textura basal e solubilização parcial dos intermetálicos durante o processo. Para identificação das propriedades da liga ZK60 pós processadas por laminação a quente, foram utilizadas análises de mapeamento de microdureza e ensaio de tração para propriedades mecânicas, microscopia óptica e microscopia eletrônica de varredura (MEV) para análises de microestruturas e DRX para avaliação de fases e de textura.
<< Voltar