Preparação de material polimérico biodegradável com incorporação de zeólitas para aplicação em embalagens

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
IVb11-003
Thuany Garcia Maraschin Basso, N.R.(Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul); Dias, L.W.(Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul); Pires, M.J.(Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul); Maraschin, T.G.(Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul); As embalagens têm como principal função proteger o produto que está contido no seu interior do meio externo, evitando que ocorram alterações indesejáveis durante o seu armazenamento e transporte. Embora sejam indispensáveis, deve ser considerado que o descarte de forma inadequada das embalagens gera grande volume de resíduos sólidos, que está diretamente relacionado com o impacto ambiental. Uma das alternativas para minimizar este impacto é a utilização de embalagens confeccionadas a partir de polímeros biodegradáveis. Desta maneira, o presente trabalho tem como objetivo a preparação e caracterização de filmes poliméricos biodegradáveis baseados em Poli –ácido láctico (PLA), Poli (ácido láctico – co – ácido glicólico) (PLGA) e Policaprolactona (PCL), blendas destes polímeros e incorporação de Zeólitas 13X. A adição de zeólita se deve as suas propriedades de barreira a gases e a radiação UV. São avaliadas as propriedades térmicas, mecânicas, ópticas, de barreira a vapor de água e o tempo de degradação em solução salina dos sistemas poliméricos, visando aplicação como embalagem. A técnica utilizada para a preparação dos filmes poliméricos foi a de Solvent Casting com espessuras de 100, 150 e 200 ?m. Os filmes poliméricos foram caracterizados pelas técnicas de Espectrofotometria UV-Vis, Calorimetria Exploratória Diferencial (DSC), Análise Termogravimétrica (TGA), Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV-FEG), transparência, permeabilidade a vapor d´água, ensaio mecânico. A blenda de PCL/PLA foi a que apresentou maior bloqueio à passagem de radiação (190 – 1100 nm) e a maior permeabilidade ao vapor d´água, características desejáveis em embalagens. A incorporação de PLA ou PLGA ao PCL puro resultou num material com melhores propriedades térmicas, porém mais rígido e quebradiço, não modificando o processo de degradação até 120 dias de incubação. A incorporação de 5% de Zeólita 13X à blenda de PCL/PLA não modificou significativamente as propriedades avaliadas.
<< Voltar