Caracterização por EBSD de liga de níquel CW6-MC soldada por eletrodo revestido.

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
IIId09-072
Fernando Yoshio Nawate Nawate Nawate, F.N.(UFSCar - LCE - DEMa); Vacchi, G.S.(Universidade Federal de São Carlos); Della Rovere, C.A.(Universidade Federal de São Carlos); O aumento na profundidade de extração de petróleo e gás nos últimos anos têm aumentado a severidade das condições ambientais nas quais os materiais são submetidos. Estas condições, como elevadas concentrações de íons cloreto e gases corrosivos (CO2 e H2S), criam um ambiente extremamente corrosivo, sendo necessário materiais cada vez mais resistentes este tipo de corrosão. Neste sentido, as ligas a base de níquel são excelentes opções devido a sua alta resistência à corrosão localizada tanto em ambientes oxidantes como em ambientes redutores. A Liga CW6-MC faz parte do sistema Ni-Cr- Mo e possui a adição de nióbio, que favorece a soldagem em ligas de Ní, sendo utilizada em diversos componentes fundidos para bombas de plataformas que extraem petróleo no oceano em grandes profundidades. Em processos de fundição, os defeitos são inerentes e devem ser reparados. Para isso, a soldagem é um processo muito utilizado, principalmente por eletrodo revestido, devido a sua versatilidade. Entretanto, sabe se que os ciclos térmicos gerados durante a soldagem multipasse podem promover uma mudança microestrutural, resultando em uma variação nas propriedades mecânicas e de resistência à corrosão, o que pode reduzir o tempo de vida útil da estrutura. Desta maneira, o objetivo deste trabalho foi avaliar as mudanças microestruturais e a resistência à corrosão localizada de uma junta CW6-MC soldada por eletrodo revestido. Para isso, foram utilizadas microscopia ótica e microscopia eletrônica (MEV/EBSD) e medidas de polarização potenciodinâmica. Os resultados mostraram uma microestrutura mais refinada na zona de mistura, e um aumento da resistência à corrosão localizada nesta região.
<< Voltar