TITÂNIO NANOMETRICAMENTE RECOBERTO POR DIHEXADECIL FOSFATO/HIDROXIAPATITA ESTIMULA O CRESCIMENTO E A MINERALIZAÇÃO DE CULTURAS PRIMÁRIAS DE OSTEOBLASTOS

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
IIIa02-016
Amanda Natalina de Faria Faria, A.N.(Centro Universitário de Itajubá); Ramos, A.P.(Universidade de São Paulo - Ribeirão Preto); Ciancaglini, P.(Universidade de São Paulo - Ribeirão Preto); Mariano, N.A.(Universidade Federal de Alfenas - Poços de Caldas); A capacidade de induzir a formação óssea ao redor de implantes ósseos é extremamente importante para a reabilitação de pacientes que sofreram um procedimento cirúrgico. O titânio (Ti) é amplamente utilizado em implantes devido à sua biocompatibilidade, baixo custo e resistência à corrosão. No entanto, apesar de seu amplo uso, ainda são necessários estudos acerca de sua superfície ideal para a otimização de seu uso como biomaterial ósseo. Nesta pesquisa foi avaliada uma modificação na superfície do Ti e sua resposta na mineralização de osteoblastos in vitro. Esta modificação foi realizada pela adsorção de cristais de fosfato de cálcio na forma de hidroxiapatita (Hap) em um filme nanométrico de dihexadecil fosfato (DHP) depositados pela técnica de Langmuir-Blodgett (LB) na superfície de discos de Ti, modificando diretamente a rugosidade, composição química, energia livre superficial e molhabilidade de sua superfície. Sobre estes, foi avaliada a viabilidade e proliferação de culturas primárias de osteoblastos derivados de céulas tronco mesenquimais (células mesenquimais estromais), a atividade da enzima fosfatase alcalina (ALP) destas culturas e a formação de matriz mineralizada; importantes parâmetros para a avaliação da eficiência de um biomaterial ósseo. O Ti recoberto com DHP/Hap mostrou uma maior energia livre superficial, maior rugosidade e molhabilidade quando comparado ao Ti sem modificações. O teste de viabilidade celular mostrou que o Ti revestido com DHP/Hap estimulou a proliferação celular ao 7º , 14º e ao 21º dia de cultura quando comparados ao Ti. As amostras de Ti recobertos somente com os filmes LB sem a posterior etapa de formação de mineral (Ti+DHP/Ca), diminuíram a viabilidade dos osteoblastos em todos os dias testados tanto em comparação ao Ti limpo quanto em comparação à cobertura de Ti+DHP/HAp. Ao 14º dia de cultura houve um aumento da atividade da enzima ALP produzida pelos osteoblastos crescidos sobre as coberturas de Ti+DHP/HAp em comparação ao Ti. Em relação à formação de matriz mineralizada, a cobertura de Ti+DHP/HAp foi capaz de estimular o aumento de sua da matriz óssea tanto ao 14º quanto ao 21º dia de cultivo quando comparado ao Ti. Assim, este estudo pôde proporcionar avanço significativo no conhecimento do uso de cristais de Hap adsorvidos em filmes de fosfolipídios nanoestruturados e suas ações no processo de biomineralização.
<< Voltar