EFEITO DO TEMPO E TEMPERATURA DE SOLUBILIZAÇÃO NA MICROESTRUTURA DE AÇOS INOXIDÁVEIS DÚPLEX COM E SEM MO

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
IIId43-013
Tainara Furlan Palmiro Palmiro, T.F.(Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL - Campus de Poços de Caldas); Cassiano, G.A.(Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL - Campus de Poços de Caldas); Apolinario, R.C.(Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL - Campus de Poços de Caldas); Sousa, L.L.(Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL - Campus de Poços de Caldas); Santos, C.M.(Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL - Campus de Poços de Caldas); Mariano, N.A.(Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL - Campus de Poços de Caldas); A microestrutura dos aços inoxidáveis dúplex pode ser obtida através do balanceamento dos elementos de liga e de tratamentos térmicos. Como as propriedades dos materiais são funções de sua microestrutura, a qual é formada pelos processos de fabricação e tratamentos térmicos, o estudo destes processos se faz necessário para que se obtenham as propriedades desejadas. O objetivo deste trabalho foi estudar a influência do tempo de solubilização na microestrutura do aço inoxidável duplex SAF 2205 com e sem Mo em diferentes temperaturas de solubilização. Os materiais foram adquiridos na forma de chapas. As amostras dos aços como recebidas foram solubilizadas a 1080 °C e1120 °C, por 30, 60, 120 e 240 minutos, com posterior resfriamento em água. Os diferentes tempos de solubilização foram empregados para verificar a influência do tempo na formação da microestrutura. Análises realizadas através de difratometria de raios X e microscopia ótica permitiram observar a presença das fases ferrita e austenita em todas as condições de tratamento térmico, assim como o aumento no tempo de tratamento térmico promoveu uma maior distribuição da austenita na matriz ferrítica e um refino nos grãos de austenita. Foi possível observar, tanto para o aço duplex sem molibdênio quanto para o aço duplex contendo Mo que à medida que a temperatura do tratamento térmico de solubilização aumenta, os tamanhos dos grãos das fases de ferrita e austenita aumentam. Para as amostras contendo Mo, foi possível observar a presença de intermetálicos que não foram dissolvidos completamente na matriz ferrítica quando tratados termicamente a 1080 ºC. No entanto, quando o tratamento térmico foi feito a 1120ºC foi observada uma estrutura mais homogênea, devido à maior solubilização dos intermetálicos nesta temperatura. Desta forma, observou-se uma morfologia mais homogênea, tanto nas amostras com molibdênio como nas amostras e sem molibdênio, na temperatura de solubilização a1120 ºC para os tempos de tratamento térmico de 120 e 240 minutos. Os autores agradecem a FAPEMIG, CNPq, CAPES e FAPESP.
<< Voltar