Resistência à corrosão em liga de alumínio naval submetida a diferentes tratamentos térmicos

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
IIIe16-004
Arthur Cesar Mina Albuquerque Coelho Coelho, A.C.(Instituto Federal do Ceará); da Silva, M.G.(UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ); O alumínio da série 5XXX possui ampla utilização na indústria naval. Contudo, ligas com teores acima de 3,0 %p de Mg, são susceptíveis a sensitização e consequentemente a corrosão intergranular, em virtude da precipitação de fase preferencialmente nos contornos de grão. A sensitização do Al-Mg depende da composição química da liga, de processos mecânicos e do tempo e temperatura de exposição da liga. Processos de fabricação utilizados pelos estaleiros, como a soldagem, podem fragilizar a liga e gerar sérias perdas humanas ou financeiras. O objetivo deste trabalho será avaliar a resistência à corrosão da liga AA5086 quando submetida a quatro níveis de temperaturas (50; 200; 350 e 500 °C) e três níveis de tempo (1; 24 e 168 h). A resistência a corrosão será realizada por meio de ensaios eletroquímicos de reativação potenciocinética pela técnica double loop (EPR-DL) e de ensaios NAMLT (Nitric Acid Mass Loss Test) modificado. O ensaio de EPR utilizará uma célula composta por três eletrodos: o de trabalho (liga de Al-Mg), o eletrodo de referência (Ag/AgCl) e o contra eletrodo (Pt). A solução de corrosão para o ensaio de EPR-DL foi escolhida para simular a água do mar artificial, sendo uma solução de NaCl naturalmente aerada a 3,5% (35 g L-1) preparada com água destilada, sendo adicionado HCl para o ajuste do pH 3, a temperatura da solução foi mantida em 23 ± 1°C. O delineamento experimental será do tipo fatorial, 4x3, com três repetições cada tratamento, totalizando 36 amostras por técnica de ensaio.
<< Voltar