Comparação das técnicas de ataque químico convencional e profundo na avaliação da forma da grafita de ferros fundidos vermiculares

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
IIId06-005
Guilherme de Oliveira Castanheira Castanheira, G.d.(Universidade Federal de Uberlândia); Rodrigues Vieira, L.E.(Universidade Federal de Uberlândia); Em virtude da crescente demanda por eficiência energética a indústria automobilística apresenta uma crescente demanda por novos materiais para produção de componentes automotivos, sendo o ferro fundido vermicular um dos mais promissores na construção de blocos e cabeçotes de motores de alta taxa de compressão. Este trabalho apresenta um estudo comparativo da técnica metalográfica convencional de ataque químico de ferros fundidos vermiculares utilizando Nital com o método de ataque profundo utilizando água régia. A partir da análise das imagens obtidas foi possível verificar que a topografia resultante do ataque profundo propicia uma melhor análise da forma da grafita, facilitando assim o controle de qualidade da produção do material. Como pontos negativos o ataque com água régia se tem o maior tempo de ataque, o maior risco devido ao PH mais baixo da água régia em relação ao Nital. Foram preparadas 2 amostras de 3 tipos diferentes de ferros fundidos vermiculares a fim de estudar a diferença entre a forma de suas grafitas segundo a norma ISO 945. Na primeira etapa foram utilizadas lixas de granulometria 100, 220, 320, 400, 600, 1200 # Mesh, e em seguidas polidas com óxido de cromo (5µm) e alumina (0.3µm). Após realizado o polimento um grupo de amostras foi atacado com Nital 2% por 30 segundos, sendo então realizada microscopia ótica. As amostras foram então lixadas e polidas novamente, sendo desta vez atacadas com água régia (1 HNO3 : 3 HCL) por 25 minutos. Após atacas as amostras foram analisadas em um microscópio eletrônico de varredura (MEV) utilizando elétrons secundários para avaliar a topografia resultante. Este ataque tornou possível remover a ferrita e com isso se analisar a forma tridimensional da grafita e também da cementita constituinte da perlita.Com base nas fotos obtidas foi utilizado o softwareTerence Chapman ImageJ para calcular o tamanho médio e a densidade de distribuição das grafitas na matriz. Observa-se que este tipo de ataque (utilizando-se água regia) permite uma melhor visualização da forma tridimensional da grafita, bem como de nuances relativas à sua rugosidade superficial, além disso, é possível perceber que os materiais apresentam uma matriz perlítica, fato esse que não fica claro na análise de amostras utilizando-se o Nital como reagente para ataque. A partir disso foi constatado que a utilização de água régia contribui para uma avaliação mais precisão seu tamanho médio real. Com base nas imagens obtidas nos testes pode-se inferir que um ataque bidimensional como os que envolvem Nital pode levar a julgamentos errados quanto a forma da grafita, uma vez que o topo de grafitas vermiculares pode ser confundido com uma grafita nodular.
<< Voltar